Uma História de Amor... e TOC!

2.6.15



Uma História de Amor e TOC - Corey Ann Haydu
OCD Love Story | Galera Record, 2015 | 320 páginas

Sinopse: Bea foi diagnosticada com transtorno obsessivo-compulsivo. De uns tempos pra cá, desenvolveu algumas manias que podem se tornar bem graves quando se trata de... garotos! Ela jura que está melhorando, que está tudo sob controle. Até começar a se apaixonar por Beck, um menino que também tem TOC. Enquanto ele lava as mãos oito vezes depois de beijá-la, ela persegue outro cara nos intervalos dos encontros. Mas eles sabem que são a única esperança um do outro. Afinal, se existem tantos casais complicados por aí, por que as coisas não dariam certo para um casal obsessivo-compulsivo? No fundo, esta é só mais uma história de amor... e TOC.



Devo confessar que sou a louca dos sick-lits, já li vários e ainda não teve realmente nenhum que eu não tenha gostado. Com Uma História de Amor e TOC, porém, as coisas foram um pouquinho diferentes. Gostei? Com certeza, mas foi uma leitura angustiante e bastante realista do início ao fim, porque bem mais até do que uma história de amor, esse livro é sobre transtornos obsessivos e compulsões, e como aos poucos elas podem ir tomando conta da pessoa de uma forma totalmente sufocante.

Então, enquanto alguns sick-lits preferem ser mais sutis ou preencherem uma boa parte do roteiro com cenas românticas e/ou de grandes amizades, aventuras etc, que possam fazer com que a gente mais facilmente se coloque no lugar dos personagens, Corey Ann Haydu escreveu o seu livro de estreia sem filtros ou máscaras. As descrições de crises e sensações de pânico são incrivelmente perturbadoras, e dessa forma, os protagonistas (Bea e Beck) assumem três funções: são os heróis mais corajosos, as principais vítimas e, ao mesmo tempo, os mais terríveis vilões.



A Bea é uma stalker; ela guarda cadernos e mais cadernos com muitas anotações, frequentemente sobre casos de homicídio praticados por pessoas aparentemente normais ou sobre o cotidiano e as características de quem chama a atenção dela, como, por exemplo, o casal Austin e Sylvia que faz terapia no horário antes do seu. Só que a Bea não enxerga nada disso como TOC e, assim, ela se sente superior aos seus colegas de terapia e demora muito para reconhecer que precisa de ajuda.

Já Beck é viciado em academia, tem mania de limpeza a ponto de sua pele descascar de tanto esfregar e faz tudo em séries de oito. Mas ele reconhece a sua fraqueza e quer melhorar, vendo na aparente estabilidade da Bea o seu alicerce para a cura. Beck precisa de Bea sã, e Bea precisa de Beck neurótico. Achei o romance dos dois bem destrutivo e, de verdade, só consegui torcer pelo casal lá pelo final do livro.



Uma História de Amor e TOC também tem outro pequeno problema: ele é narrado totalmente em 1ª pessoa, com o ponto de vista da Bea. Essa limitação de percepção me fez, como leitora, sentir falta de um ponto de vista para o Beck e de um aprofundamento maior nos pais e na melhor amiga de Bea, Lisha, que na metade do livro se torna alguém totalmente diferente do que era no começo. Como a Bea não sabe o porquê disso, os leitores também ficam sem saber.

Ainda assim, mesmo com essas pequenas coisas que para mim atrapalharam um pouco a leitura, o livro não deixa de ser incrível. Ele começa muito bem, te fisga rapidinho. A Bea tem uma personalidade muito bem construída e forte, e o domínio da autora em relação ao TOC foi formidável. Dá direitinho para sentir na pele o que é ter TOC, é muito angustiante até para o leitor. Então, para quem quer um sick-lit mais real e para quem se identifica com o tema, recomendo muito, muito mesmo, a leitura! 

You Might Also Like

11 Bilhetes

  1. Primeiro: Cadê você oferecendo um curso de como tirar fotos lindas, incríveis e mravilhosas? Quero demais e preciso demais.
    Eu li a resenha da Gabi desse livro e já me apaixonei por ele e agora com a sua eu tenho a plena certeza de que esse livro será um grande desafio para mim, mas que eu vou amar. Mesmo com esses pequenos defeitinhos creio que a leitura deve ser incrível e instigante. Nunca li nada sobre TOC e aprecio muito livros que introduzem problemas/distúrbios como esse. Também estou apaixonada nessa edição que está de babar <3
    Chorando sangue porque queria ler ele, tipo, AGORA, mas dinheiro que é bom nois num have :(((((
    Beijooos sislinda <3
    Debora.
    http://vanille-vie.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Preciso dizer que adoro esses livros que apresentam personagens com transtornos psicológicos? Esse livro já me ganhou só pelo nome, e se ele já estava na minha lista antes, agora eu realmente preciso comprá-lo. Amo romances clichês e fofinhos, cheio de amor piegas e etc e meu lado psicóloga em formação vai amar ver de perto o dia-a-dia de pessoas com TOC. Sinto que também vou ficar incomodada com essa narração em primeira pessoa apenas de um ponto de vista. Acho que de tanto ler livros que seguem um certo padrão como Eleanor & Park, Vaclav & Lena e afins, eu realmente me acostumei a ter duas visões (ou até mais).
    Ainda assim, estou super curiosa e vou dar uma organizada nas finanças pra ver se consigo comprar logo, ou pedir de aniversário porque sou dessas hahaha
    E olha, quando você começar a oferecer esse curso de fotografia vou querer uma vaga junto com a Debs, viu? Babo muito nas suas fotos <3
    Beijo

    www.blogrefugio.com

    ResponderExcluir
  3. Eu fiquei com um medo desse livro quando vi que uma stalker foi colocada em uma narrativa de romance, mas ainda assim fiquei com vontade de lê-lo.
    Depois da resenha a vontade só aumentou, e espero conseguir lê-lo logo.

    http://coracao-de-leitora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Nosa, primeiro prciso dizer que eu amei a sua resenha. Não so pela forma que escreveu, mas porque visualmente esta liiiiiiiinda! Parabens.
    E eu não tinha escutado falar desse livro, que legal. Na verdade o unico Sick-list qiue li foi a Culpa é das estrelas então não sei dizer se sou tão fã desse tipo de leitura. Mesmo que tenha gostado do que li.
    Mas TOC é muito bom pq eu tenho alguns. Não chega a ser nada serio, mas tenho umas coisas "bobas" que me incomodam kkkkk Ja quero ler!

    Ahh e depois, se puder, dá uma passadinha la no blog e confere as ultimas postagens ;)

    bjinhos
    Naty Rangel
    livrosdanatyrangel.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. kkkkkkkkkkk ai, ai. Também me pareceu bem destrutivo, mas de uma forma legal. Não me pergunte como. Ah tipo assim duas pessoas que precisam de ajuda e que vão se ajudar. Vão né?! Achei interessante o fato dela stalkear os outros ah vai isso nem é tão incomum kkkkk não pra mim.

    Inquietudes Secretas

    ResponderExcluir
  6. História com Toc e amor! Gostei do enredo acho que me identifiquei um pouco com a protagonista! Lindas fotos no post! Parabéns!

    Bjs, Michele[
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  7. Oi Tici!
    Diferente de você Sic-lit não é exatamente o gênero que mais me agrada e confesso que fujo um pouquinho dos dramas de algumas dessas histórias. Gostei de saber que esse livro não suaviza no distúrbio e o apresenta de maneira mais real e pela angustia que você disse que sentiu a ideia da autora foi bem sucedida.
    Não sei ao certo se lerei esse livro um dia, mas vai saber né kkk
    A resenha está ótima (como sempre) e as fotos estão lindas.

    Beijos
    Espero sua visita =)
    http://numrelicario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Ai Tici, primeiro que é inevitável não apaixonar nas tuas fotos, viu? Super delicadas e coloridas, eu amo! Também quero uma vaga nas aulas que as meninas citaram aí em cima, hahaha.
    Ouvi falar desse livro lá pelo seu twitter mesmo e já fiquei super interessada. Sempre pesquiso sobre transtornos psicológicos e um livro que tenha isso inserido deve ser bem diferente de se ler. Já quero muito!

    Beijão,
    surmelody.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Amei as fotos do seu post, parabéns! Eu amo amarelo, então chamou minha atenção de modo positivo. O livro parece ser bem interessante. Eu adoro essa temática meio psiquiátrica, no caso da personagem o TOC. bjsss www.janelasingular.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi Tici!
    Só por abordar tão bem sobre o TOC, eu já quero ler, mas deve com certeza como falou ser uma leitura incrível, deve ser bem tensa também! Adorei a resenha e a postagem linda como sempre! Beijos
    Paula Juliana - Overdose
    http://overdoselite.blogspot.com.br/2015/06/resenha-poder-encantadas-03-sarah.html

    ResponderExcluir
  11. Amadinha, esse livro eu sempre tive curiosidade de ler.. <3 Parece bem diferente do que estamos acostumados a ler nos livro geralmente.. sabe tem traços de ROMANCE REAL, levando em conta que a realidade que nós jovens vivemos é mais ou menos essa, todo mundo carrega alguma marca, transtorno, trauma.. A sociedade em si toda problemática, a maioria das pessoas hoje em dia convive com transtornos com ansiedade e depressão..

    Pela resenha eu fiquei mais curiosa.. Me fez lembrar de dois grandes romances que me marcaram bastante ultimamente exatamente por isso.. "O LADO BOM DA VIDA" e "POR LUGARES INCRIVEIS" sabe, por mostrar o lado de uma pessoa que tem de lidar com um transtorno ou doença mental e mesmo assim viver um amor.. imperfeito, mas que não deixa de nos fazer lembrar da realidade.

    Beijos flor!
    visita meu blog?!
    (www.yasmimramos.com.br)

    ResponderExcluir

Copyright

Todas as fotografias e textos publicados são produzidos pela equipe do Feito Poesia, exceto quando sinalizado. Por favor, não copie nenhum deles sem a devida autorização dos autores. Todos os direitos reservados.


Seguidores