Terry Pratchett e os Pequenos Deuses

9.6.15


Pequenos Deuses - Terry Pratchett
Small Gods |  Bertrand Brasil, 2015  |  308 páginas
Religião é um assunto controverso em Discworld. Todo mundo tem sua própria opinião e até seus próprios deuses, que podem ser de todas as formas e tamanhos. Nesse ambiente tão competitivo, as divindades precisam marcar presença. E a melhor maneira de fazer isso certamente não é assumindo a forma de uma tartaruga. Nessas situações, você precisa, e rápido, de um assistente. De preferência alguém que não faça muitas perguntas...

Sir Terrence David J. Pratchett - ou simplesmente Terry Pratchett - foi um escritor inglês mundialmente reconhecido por sua série de (pasmem) 39 livros que se passam em um mundo fictício e fantástico chamado Discworld. O Terry infelizmente faleceu esse ano, em março, e com isso, as traduções brasileiras dos livros dele, que estavam paradas desde Os Pequenos Homens Livres (Conrad, 2010, Discworld #30), foram retomadas, mas agora pelas mãos da Bertrand Brasil, com Pequenos Deuses.

O livro é, originalmente, o décimo terceiro volume da série, mas não guarda aquela forte relação de dependência com os volumes anteriores. Dá para ler sem ter lido nada do Pratchett antes, e esse foi justamente o meu caso. Peguei para ler porque a história é uma sátira (mas não dessas toscas que existem apenas pelo simples prazer de desmerecer uma obra) e usa a ficção fantástica para criticar comportamentos reais, algo bem parecido com o que o Douglas Adams fez com a ficção científica na sua série O Guia do Mochileiro das Galáxias.

Só que em Pequenos Deuses a crítica não é ampla em relação a todas as incongruências que existem no mundo, mas sim especificamente dirigida à religião e à filosofia. A história segue os passos do grande e onipotente deus Om, que, no começo do que pode vir a se tornar uma sangrenta guerra santa nos moldes do Cristianismo Medieval, se vê materializado no corpo de uma frágil tartaruga caolha e descobre que só possui realmente um único e verdadeiro crente que consegue ouvi-lo: o noviço e nada importante Brutha.

Juntos, Brutha e Om seguem em uma perigosa jornada para restaurar a crença omniana, e é durante essa jornada que o Terry Pratchett vai inserir muito bem os seus pontos de reflexão, seja com humor ou com questões éticas e morais. Mas o que se deve ressaltar logo para evitar pré-julgamentos é que esse livro de forma alguma desmerece a fé, seja ela qual for. Brutha é um crente, o último, e com toda a sua humildade e ingenuidade, se torna o personagem mais bonito da história.

Na verdade, a crítica de Pequenos Deuses é construída em cima da religião como instituição autoritária, quando ela se torna tão poderosa que passa a servir mais aos interesses dos homens que a regem do que aos princípios da deidade na qual ela se ergue, e nem os próprios fiéis percebem que já se afastaram bastante do que a religião inicialmente se propunha. O livro trava uma luta contra a fé cega, o fanatismo religioso e as guerras santas, e é só olhar ao redor para ver que o debate ainda é ex-tre-ma-men-te atual.

Toda essa ficção metafórica e mensagens sutilmente escondidas me fizeram gostar bastante do livro, mesmo que no começo, sem ter nenhum contato anterior com a Discworld, eu tenha estranhado todo esse novo mundo e seus nomes esquisitos. Mas a narrativa vai evoluindo e é bem nerd. A propósito, a saga inteira do Terry é considerada nerd, só que, pelo menos nesse volume, é bom expandir o termo para além da cultura pop nerd gamelike. Se, por exemplo, você nunca teve um contato com filosofia, o humor que o autor extrai de algumas verdades filosóficas não vai soar 100% engraçado. Ainda será engraçado, porque você vai rir da forma como a piada foi contada, mas sem compreendê-la realmente.

Enfim, achei Pequenos Deuses um livro bastante inteligente e alternativo, que já me deixou curiosa para conhecer os outros volumes da Discworld. Gostaria de dizer que recomendo para todo mundo, mas como se trata de religião, sempre tem que ter aquela cautela. Então vou deixar simplesmente assim: recomendo para todos que gostam de uma narrativa crítica, divertida e dinâmica, com personagens cativantes e sutil na sua mensagem :)

"Só porque você consegue explicar não significa que não seja um milagre." 

You Might Also Like

9 Bilhetes

  1. Uau, Tici.
    Isso que eu chamo de uma dica mais do que maravilhosa!
    Não conhecia o livro e nem daria muita coisa pela capa, mas fiquei encantado com o enredo e a premissa. E o que falar de tantas metáforas? Simplesmente adorei!
    Com certeza será um livro que vai para a minha lista.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de junho. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Tici!
    Tive a chance de ler esse livro recentemente, foi a escolha do mês do Clube Literário que participo. Nossa, mas como eu adorei esse livro! Hahaha. Achei super divertido, com um humor irônico que me identifico bastante. Espero que com esse novo relançamento todos os 16 livros da série sejam traduzidos! Ainda não li os outros mas é culpa do Reading Challenge, espero terminar o desafio logo pra poder ler a série inteira! Haha.
    Bjos,

    Mari
    Mari The Reader

    ResponderExcluir
  3. Oi Tici, gostei justamente por abordar de forma divertida a religião, devemos sempre sair da nossa zona e dar oportunidade para novas ideias, não que isso mude a nossa opinião, isso que as pessoas tinham que ter em mente.

    Fiquei encantada!

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  4. Hellouu sislinda! Nunca tinha ouvido falar desse livro, e dois minutos depois de conhecê-lo, graças a sua resenha verdadeira e maravilhosa, eu já quero comprar e devorar as páginas! Nunca li Guia dos Mochileiros (...) pra comparar, mas esse tom de sátira inteligente (?) me agrada e muito. Além disso, o tema mais que do que tudo me chamou a atenção: super concordo que todo esse fanatismo e o fato de uma igreja autoritária precisa ser amplamente discutido e o porque melhor do que fazer isso desconstruindo todos os pre-conceitos e "dogmas" que temos em relação ao assunto, né? Se tiver a oportunidade pode ter certeza que vou ler <3
    E 39 livros??? EITA! E eu achando que PLL e House of Night que eram séries grandes HAHAHA
    Beijoos e parabéns pela ótima resenha! ^^
    Debora.
    http://vanille-vie.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Já tinha ouvido falar nesse livro
    achei a capa linda
    mas não tinha parado pra ler nada sobre ele
    e parece ótimo

    Mil beijocas
    ⋙ ♥ Blog Livros com café
    Está rolando dois sorteios lá no blog participe ;)

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito do teu blog!
    Se puderes vista o meu e se gostares segue...se seguires deixa comentário :)
    Beijinhos

    http://beautifullsecrets.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  7. Nossa que saudades de passar por aqui Tici, ai venho e já sou brindada com uma resenha de um livro do meu muito amado Terry Pratchett! Isso é auspicioso hohoho

    Pratchett consegue ser um trolador irreparável, genial e ao mesmo tempo terno, talvez por isso eu o ame tanto. Sou geminiana adoro coisas/livros/vidas/blogs que não são "uma coisa só".

    Achei a capa de "Pequenos Deuses" pavorosa, mas estou me coçando para comprar, não vai demorar...

    Ah, Pratchett é um daquelas autores que me faz adorar ser professora de História pelo simples motivo de graças a isso sou capaz de entender algumas piadas muito boas... O problema é que vou contar a piada aos outros e o povo voaaaa.....

    Ah, se vc gostou da zueira do Terry te recomendo "Belas Maldições" que ele escreveu com Gaiman. Nossaaaa... a visão do Apocalipse jamais será a mesma kkk

    Pandora
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  8. Nossa que saudades de passar por aqui Tici, ai venho e já sou brindada com uma resenha de um livro do meu muito amado Terry Pratchett! Isso é auspicioso hohoho

    Pratchett consegue ser um trolador irreparável, genial e ao mesmo tempo terno, talvez por isso eu o ame tanto. Sou geminiana adoro coisas/livros/vidas/blogs que não são "uma coisa só".

    Achei a capa de "Pequenos Deuses" pavorosa, mas estou me coçando para comprar, não vai demorar...

    Ah, Pratchett é um daquelas autores que me faz adorar ser professora de História pelo simples motivo de graças a isso sou capaz de entender algumas piadas muito boas... O problema é que vou contar a piada aos outros e o povo voaaaa.....

    Ah, se vc gostou da zueira do Terry te recomendo "Belas Maldições" que ele escreveu com Gaiman. Nossaaaa... a visão do Apocalipse jamais será a mesma kkk

    Pandora
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  9. Oi Tici, sua linda, tudo bem?
    Saudades de vir aqui.
    Independentemente de religião, eu fico triste quando vejo essa "fé cega". As pessoas deveriam buscar a Deus, deveriam buscar serem melhores a cada dia e amar e levar o amor a todos. Gosto de livros que me façam pensar, refletir, e esse parece ser um deles. Sua resenha ficou ótima!!!!!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Copyright

Todas as fotografias e textos publicados são produzidos pela equipe do Feito Poesia, exceto quando sinalizado. Por favor, não copie nenhum deles sem a devida autorização dos autores. Todos os direitos reservados.


Seguidores