O Sétimo Filho - Filme vs. Livro

17.3.15




Oi, gente! O Grupo Editorial Record fez uma surpresinha para os parceiros semana passada e enviou o livro O Sétimo Filho, o volume único que junta os dois primeiros volumes (O Aprendiz e A Maldição) da série As Aventuras do Caça-Feitiço escrita pelo Joseph Delaney, junto também com o ingresso para assistir à adaptação homônima que estreou dia 12 de março! Eu já fui ver o filme e está beeeeem diferente dos livros. Confere aí!



Título original: The Seventh Son
Lançamento: 12 de março de 2015
Duração: 1h42min
Diretor: Sergey Bordrov
Elenco: Jeff Bridgets, Julianne Moore, Ben Barnes, Kit Harrington    e outros.


"ESVAZIE O SEU CORAÇÃO DE TRISTEZA E ENCHA-O DE CORAGEM."

Sinopse: Sendo o último integrante da antiga Ordem dos Falcões - uma sociedade de guerreiros que lutava contra as criaturas das trevas -, o caça-feitiço Gregory há tempos vem tentando achar alguém que seja bom o suficiente para dar continuação ao perigoso trabalho de caça às trevas. Os rapazes escolhidos sempre são sétimos filhos de sétimos filhos, sete vezes mais fortes, mas a maioria acaba falhando e morrendo sem completar o seu treinamento.

Seu último aprendiz, William Bradley, serviu bem por 10 anos, até que, com a ascensão da Lua de Sangue no céu, a lendária bruxa Mãe Malkin consegue escapar da prisão em que esteve presa por anos e, procurando vingança, mata William. É a partir daí, e correndo contra o tempo para evitar que Malkin desperte o inferno na terra, que  Gregory vai em busca de outro aprendiz. O novo escolhido é Thomas Ward, sétimo filho de um sétimo filho, mas cuja mãe guarda um segredo que pode mudar o seu destino como caça-feitiço.


Opinião: De uns tempos para cá, Hollywood vem investindo pesado no perfeccionismo visual da computação gráfica, já até pensando no ganho a mais com sessões em 3D, IMAX e similares, e nada melhor para comportar esse formato do que as histórias de fantasia, com seus monstros e batalhas dignas de pesadelos. Nesse quesito, O Sétimo Filho não decepciona. Com cenários incríveis e criaturas abomináveis, o filme consegue arrancar até um ou dois sustos no espectador, mas o destaque para a produção visual acaba evidenciando ainda mais os furos do roteiro. 

Por exemplo, na tentativa de criar algo mais adulto e épico no filme (diferente do livro), algumas coisas passam a não funcionar. A relação entre mestre (Jeff Bridgets) e aprendiz (Ben Barnes) não funciona devidamente porque a ação teve preferência e o diálogo ficou muito raso. O romance também não funciona; é clichê baseado no amor instantâneo. Então o que funciona? A temática de caça às bruxas, com elas sendo retratadas novamente como seres malévolos e impiedosos.

Ainda achei que as coisas aconteceram rápido demais (até pelo roteiro, que faz toda a história se passar durante a semana do ciclo da lua de sangue) ou fáceis demais, e, por mais que o filme não deixe pontas-soltas ou opte por cliffhangers, o final deixa um gancho óbvio para uma continuação que não deve vir. No todo, O Sétimo Filho consegue imergir o espectador que gosta de fantasia pelo seu caráter visual - com o seu mundo cheio de sombras, bruxas e assassinos -, mas podia ser bem melhor.  



  O SÉTIMO FILHO: AS DIFERENÇAS ENTRE O FILME E OS LIVROS  

São notáveis as diferenças entre os dois meios logo no trailer. A versão do Joseph Delaney - que até agora já escreveu 13 livros para a sua série As Aventuras do Caça-Feitiço - começa quando Thomas Ward, um garoto de 13 anos inicia o seu treinamento como caça-feitiço e isso inclui muitas aulas, testes envolvendo casas mal-assombradas, anotações e uma grande dose de erros próprios de quem ainda é um menino sem experiência no assunto. Tom também logo conhece Alice, uma menina-bruxa que não sabe de qual lado ficar, e Gregory é um mestre menos rígido ou heróico e mais sábio.

Só por isso, o livro (O Aprendiz, vol. I, especificamente) já assume um caráter mais de aventura infantojuvenil, sem batalhas, lutas de tirar o fôlego ou romance, e este não é um formato que dê certo em produções que querem partir para o lado épico. Muito por isso é que a adaptação cinematográfica resolveu mexer na história, optando por personagens mais velhos, vilões mais sanguinários e um Gregory mais letal, e reaproveitando alguns personagens do livro para realocá-los em outro plot, como o do personagem Tusk, ou criando novos, como Radu.

Essa nova abordagem da história não funcionou para o filme, pelo menos eu acho que não (talvez funcionasse como série, com mais tempo para as coisas irem se desenvolvendo, sem nada precisar ser instantâneo). Mas a história original do Joseph Delaney funciona muito bem para a série de livros. Ela é daquele estilo para acompanhar com gosto o crescimento e o amadurecimento do personagem principal e assim cada vez mais se aprofundar no mundo fantástico criado pelo autor. Tudo no seu devido tempo e sem correria. Fica a dica para os amantes do gênero! :) 

You Might Also Like

15 Bilhetes

  1. Oi Tici, sua linda, tudo bem?
    Nossa, adorei a surpresa que a editora fez para seus parceiros. Tici, eu conhecia a série dos livros, mas quando vi o título do filme, não sabia que era baseado nessa série. Que pena que eles mudaram a história do livro e com isso algumas coisas não funcionaram. Confesso que fiquei super empolgada para ler a série, pois te tudo o que eu gosto: bruxos, fantasia, magia e muita aventura. Só não sabia desse pequeno detalhe: 13 livros? Risos...
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oie Filhote! Então, como eu já havia dito, eu nem sabia da existência desse livro e filme, até eu ver o trailer durante a sessão de "Kingsman". Confesso que não vi nada de "wow" no trailer que poderia me fazer querer ver o filme logo. Depois de ler seu post, acho que continuo com essa posição. É um filme que talvez eu veja bem mais pra frente.

    Beijos,
    www.girlfromoz.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Que lindo a editora fazer essa surpresa para os parceiros né *--*
    Então, já li muitas resenhas positivas sobre as obras mas ainda não senti vontade de ler o livro :/ quem sabe eu assista o filme antes de ele sair de cartaz.
    Beijos,
    Andy - StarBooks

    ResponderExcluir
  4. Bem, ainda não conhecia nem o livro e nem o filme. Mas, pelo relatado, acho que me interessaria por ambos, apesar das diferenças. Mas iria preferir ler o primeiro e depois conferir a adaptação por Blu-ray.
    Excelente dica.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de março. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia o livro nem o filme. Mas parece ser muito interessantes. Curti muito os efeitos no filme. Procurarei assisti-lo e ler aos livros rsrs

    xoxo ♪ Acordes Coloridos

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Nào conhecia o livro acredita? :/
    Adoro essas matérias de Livro x Filme, e fiquei com vontade de ler o livro e depois ver o filme.
    O trailer é maravilhoso, e saber que tem livro, e melhor 2 me deixou bem mais animada!!
    Beijos
    tamigarotaindecisa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi Tici,
    Estou curiosa pra assistir esse e ler também. Elenco bem bacana.
    Eu nunca sei o que fazer primeiro: ler ou assistir! Daí fico nessa confusão e acabo não fazendo nenhum dos dois - por um tempo haha

    De repente a adaptação ficou meia boca assim, pelas expectativa de não ser estouro...,mas não sei como os autores permitem essas coisas. A grana deve ser MUITO boa haha

    bjs e tenha uma ótima quarta!
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  8. Oi, Tici!
    Eu nunca tinha ouvido falar do livro até aparecer o filme, mas eu tenho lido tantas críticas negativas sobre o filme, que ainda não sei se vou ver. Já o livro, esse eu acho que vale a pena ler, porque eu gosto do estilo. ^^
    Beijo

    http://canastraliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi, Tici.
    A Record é realmente um amor <3
    Acho muito interessante a proposta do livro, especialmente recrutar sétimos filhos de sétimos filhos, gosto muito de livros/filmes de aventura. Mas uma pena que tenham alterado tanto a trama para adaptá-la, realmente.

    Beijão

    ResponderExcluir
  10. Eu tenho muita vontade de ler o livro e achei bem interessante as diferenças entre o filme e o livro, o que é bem comum em adaptações, né?

    Ótima resenha

    Bjs, Michele

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  11. Acredita que eu não tinha ouvido falar desse filme ainda? Mas mesmo você não tendo gostado e eu entendendo todos os motivos que são super plausíveis e quais provavelmente também não vou gostar, quero assistir porque mu lado fangirl nunca vai morrer e Ben Barnes tão MUITO gato nesa foto, menina! HAHAHAHA É uma pena mesmo que Hollywood faça essas sacanagens com a gente, pegando uma história best-seller, porém que não tem um formato adaptável e então mudem tudo. Me interessei bastante pelo livro, parece ser o tipo de história que eu gosto, mas confesso que o tamanho da série meio que me desanimou, veremos se um dia terei a oportunidade de ler!
    Beijos Ticiiii e parabéns, arrasando no post como sempre <3
    http://vanille-vie.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oie,
    confesso que eu não conhecia o filme, mas parece daqueles bons para ver no cinema neh?
    Gostei da dica.

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  13. Eu sou muito fã do Barnes e por isso acompanhando essa adaptação desde que foi anunciado que ele participaria. Ainda não vi ou li os livros, mas sei que muita coisa mudou e isso tem incomodado muitos fãs. Uma amiga viu e disse que não está tão legal assim, quero ver pra ter minhas conclusões.

    Bjs, @dnisin
    www.seja-cult.com

    ResponderExcluir
  14. Honestamente não gosto dessa tematica de caça as bruxas. Putz, mil anos se passaram desde o fim da Idade Média e essa crença de que uma mulher poderosa que tem conhecimentos para fazer o mal, caso deseje ou precise, é necessariamente má e sem coração ainda persiste! As Sacerdotizas da Lua e de outras divindades eram mulheres cultas, com grande influencia dentro da sociedade, algumas sabia curar, nem todas deviam ser piedosas (afinal eram humanas) as chefes de ordem tinham uma enorme capacidade para jogar o jogo da politica e da guerra e o faziam quando precisavam. Eram empoderadas, não merecem ser associadas a maldade em pleno século XXI... odeio quando vejo que elas ainda são queimadas simbolicamente! #ProntoDesabafei kkkk

    Já o livro, aaah, ele parece, por suas pontuações finais, ser bem mais interessante e bem desenvolvido. Certamente posso vim a lê-lo e talvez até indicar aos meus alunos!

    Pandora
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oooi, Pandora! Aah, adoro desabafos! Então, o bom é que tanto o filme quanto o livro dividem as bruxas em benevolentes, malevolentes e inconscientes. O maior exemplo do mal é a Mãe Malkin, mas tem bruxas boas também! O que ficou ruim foi que no filme queimar uma bruxa não é visto como algo ruim, já no livro é. Queria que eles tivessem mantido isso no filme também :/ xx

      Excluir

Copyright

Todas as fotografias e textos publicados são produzidos pela equipe do Feito Poesia, exceto quando sinalizado. Por favor, não copie nenhum deles sem a devida autorização dos autores. Todos os direitos reservados.


Seguidores