Amy & Matthew

26.2.15


AMY & MATTHEW
Say What You Will

Escrito pela estadunidense Cammie McGovern, com 336 páginas e publicado no Brasil em 2015 pela Galera Record.

Amy e Matthew não se conheciam realmente. Não eram amigos. Matthew sabia quem ela era, claro, mas ele também sabia quem eram várias outras pessoas que não eram seus amigos. Amy tinha uma fachada de felicidade estampada em seu rosto, mesmo tendo uma deficiência que restringe seus movimentos. Matthew nunca planejou contar a Amy o que pensava, mas depois que a diz para enxergar a realidade e parar de se enganar, ela percebe que é exatamente de alguém assim que precisa. À medida que passam mais tempo juntos, Amy descobre que Matthew também tem seus problemas e segredos, e decide tentar ajudá-lo da mesma forma que ele a ajudou. E quando a relação que começou como uma amizade se transforma em outra coisa que nenhum dos dois esperava (ou sabe definir), eles percebem que falam tudo um para o outro... exceto o que mais importa.



Às vezes, o "eu te amo" é o mais difícil de dizer... Talvez esse não seja um pensamento universal, mas quando se trata de dois jovens com mais dúvidas do que certezas, é um tanto improvável que alguém discorde. Apontado como uma combinação de A Culpa É Das Estrelas (Intrínseca, 2013) e Eleanor & Park (Novo Século, 2014), Amy & Matthew é o retrato de um amor jovem e inocente que, para se firmar, primeiro precisa passar pela intensa barreira da aceitação. 



De um lado temos Amy, uma garota com uma deficiência que paralisa metade de seu corpo, de forma que ela não consegue andar sem a ajuda de um andador nem falar sem a ajuda de uma aparelho de voz. Nasceu prematura e a previsão dos médicos era a de que seria um vegetal, mas Amy superou algumas limitações com a ajuda de sua mãe e se tornou uma das melhores alunas de seu colégio. Ainda assim, ela não tem amigos além dos professores e auxiliares.

Do outro lado: Matthew. O rapaz introvertido tem certos jeitos estranhos, mas que ele não consegue perceber que o afastam dos principais círculos sociais. Matthew tem TOC (transtorno obsessivo-compulsivo) e essas suas manias o consomem e o exaurem todos os dias, até Matthew começar a trabalhar como auxiliar de Amy. A simples tarefa de cuidar dela já é uma terapia, e logo Matthew percebe que a garota está sendo a sua salvação para combater sua doença.



Através da limitação física de Amy e da psicológica de Matthew, Cammie McGovern então explora os dois lados da aceitação em Amy & Matthew. Narrado em terceira pessoa, o livro conta com uma série de trocas de e-mails, gestos simbólicos, diálogos bem-construídos, referências e outras coisas para criar uma atmosfera que é poética, sutil e objetiva ao mesmo tempo. Um exemplo é que todas as falas da Amy aparecem em capslock, um constante lembrete ao leitor de que ela precisa de uma máquina para falar, mas vemos que o conteúdo das suas conversas não apresenta limitação alguma.

Esse é o diferencial do livro. A Amy é uma protagonista que aprendeu a viver além da sua deficiência. Ela não fica reclamando e é determinada, corajosa e bastante honesta com ela mesma. Enquanto muitos no lugar dela se esconderiam, a Amy quer ir para a faculdade e também experimentar os prazeres da juventude como qualquer outra pessoa. Mas ela é alguém que está sempre tentando provar alguma coisa e, com isso, acaba tomando decisões ruins e precipitadas, o que me fez terminar a leitura sentindo que não tinha conhecido quem era a verdadeira Amy, sem poder me conectar de fato com a personagem.



Quanto ao Matthew, só tenho elogios. Não via um protagonista tão doce, dedicado e autêntico em um Young Adult desde Todo Dia (Galera Record, 2013). O maior exemplo de limitação, superação e de perdão de Amy & Matthew é o Matthew. Ele é angústia, inspiração e paixão pura. Porém, apesar de ficar claro que os dois protagonistas se amam desde o início, a tensão entre certos aspectos de suas personalidades é nítida e sensível também.



Assim, mais do que um romance, Amy & Matthew é um livro sobre aceitar o próximo como ele é, então há muitas reviravoltas para colocar em jogo o amor dos dois. Mas não são reviravoltas bobas, tipo o surgimento de um triângulo amoroso. São reviravoltas sérias, que provam mais uma vez como a deficiência aqui não foi pensada para você enxergar Amy e Matthew como seres diferentes ou sentir pena deles. Ao contrário, prepare-se até para um certo nível de frustração com algumas de suas atitudes.

Fiquei frustrada durante a grande reviravolta dessa história, mas de toda a forma, recomendo, sim, o livro. Ele é um sick-lit romântico com uma abordagem diferente, dura e ousada, sem chegar a ser triste, e que eu acho que muitas pessoas poderão gostar. 

"Talvez não tenha essa noção, mas, quando se tem uma deficiência, quase ninguém fala a verdade para você. As pessoas ficam constrangidas porque a verdade parece triste demais, eu acho. Você foi muito corajoso em ir até a garota aleijada e dizer basicamente: apague esta expressão feliz do rosto e enxergue a realidade." [pág. 34]

You Might Also Like

12 Bilhetes

  1. Eu comprei Amy e Matthew ainda na pré-venda, porque minha vontade de ter/ler eram enormes. Ele, sem dúvidas, foi uma das melhores leituras deste ano. Achei incrível a história e me surpreendi bastante com algumas coisas que acontecem, com todas as reviravoltas. O Matthew é INCRÍVEL, o jeito como ele trata as pessoas, como ele cuida da Amy e estando do lado dela apesar de tudo faz com que ele se torne um dos personagens mais cativantes pra mim. Acho lindo a atitude dele com relação ao que acontece com a Amy. Gostei muito da Amy, embora algumas atitudes dela tenham me chateado. Eu amei a história e amei o final.
    Sua resenha ficou ótima, parabéns! :)

    ResponderExcluir
  2. Oi Tici,
    Comprei Amy & Matthew há alguns dias, e estou louca para começar logo a leitura. Na verdade, já estava animada antes, depois de ler sua resenha fiquei ainda mais curiosa. Quero acabar o mais rapido possivel "Um mais um" da Jojo Moyes ( que é sensacional), e comecar este.
    Sua resenha deixou-me arrepiada.
    Beijos
    Laís Happel
    Blog Carolice
    www.carolice.com/

    ResponderExcluir
  3. Oie filhote! Então, eu juro que quando vi esse livro numa livraria, olhei rápido, e jurei que era "Eleanor & Park". Mas, eu achei a história interessante, não é meu gênero de livro favorito, mas cada pessoa tem seu guilty pleasure, né? haha. Parece ser uma história muito boa, e acho que iria prender minha atenção. Bem, assim espero. Pretendo ler para chegar a uma conclusão.

    Beijos,
    http://www.girlfromoz.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ticiiii que resenha linda <3
    Confesso que quando esse livro foi lançado não deu muita bola, mas venho lendo algumas resenhas e a maioria tem sido positivas e COMO SEMPRE sua resenha me deixou com aquela vontadezinha básica de sair correndo e ler o livro. Estou curiosa pra conhecer o Mattew e descobrir porque você gostou tanto dele, além de acompanhar a sua personalidade. Outra coisa que me chama bastante a atenção é esse diferencial da Amy ser deficiente e a história não ser "ai meu Deus ela é deficiente, vamos ficar o livro todo lamentando". Enfim, a leitura parece ser meio rápida então vou ficar de olho se ele entra em promoção para ter a oportunidade de ler!
    Beijo no <3 hahahaha
    Debora.
    http://vanille-vie.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Provavelmente essa é a primeira resenha que leio desse livro e confesso que só pela capa compraria. Mas, após ler essa delícia de resenha, tenho outro motivo a mais para adquirir o livro, acredito que esse tipo de leitura esteja sendo um dos meus gostos atuais. Não criarei nenhuma expectativa, porém pretendo ler.

    Beijos!
    livrosdawis.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Ticilinda! Tudo bom?
    Ai, suas fotos sempre me encantam, adoro toda a energia que você coloca nas fotos <33 Sua descrição da Amy me fez suspirar, já imagino ela sendo uma garota que apesar das dificuldades está cheia de energia positiva. Com o fato de Matthew cuidando dela, me lembrou muito a história Como eu era antes de você, e só de imaginar, já quero chorar horrores aqui.
    O livro parece ser uma verdadeira montanha russa de sentimentos, e a história parece tocar diretamente no coração, com esse casal inesperado, e até eu fiquei extremamente surpresa com a história, não esperava tanto assim, agora quero tanto ler, culpa sua HUDXSIUADH <33

    Beijinhos,
    www.percepcoes.blog.br

    ResponderExcluir
  7. Achei essa capa tão fofa, mas pelo visto o livro é bem mais profundo. Fiquei ainda mais curiosa para ler. Só não sei como vou lidar ao ler as falar de Amy, Caps Lock parece me fazer gritar mentalmente. Adorei a resenha. O livro ficou no topo da minha lista.

    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem ?Poderia ajudar na divulgação do meu sorteio ? É do livro Jardim do Pesadelo.

    http://traducere.blogspot.com.br/2015/02/sorteio-livro-jardim-do-pesadelo-de.html

    obrigada!

    ResponderExcluir
  9. Oi, Tici! Tudo bem?
    Garota, já disse que adoro as suas resenhas? Sério mesmo! ~abraço~
    Você escreve muito bem. Muito bem. Até então não dava nada pelo livro; agora quero muito lê-lo. Parece uma história linda que precisa ser conferida de qualquer maneira.

    Um beijo,
    Doce Sabor dos Livros docesabordoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Preciso ler esse livro.
    Parece ser tão lindo e maravilhoso *-*

    beijos
    http://acordes-coloridos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Fiquei instigada! As peculiaridades dos personagens é o que convida a leitura, a autora explorou personagens que fogem do comum e essa mistura pelo visto não foi mal feita! Entrou para a lista!

    Pandora

    P.S.: Suas fotos como sempre são um capitulo a parte no post! #Amo

    ResponderExcluir

Copyright

Todas as fotografias e textos publicados são produzidos pela equipe do Feito Poesia, exceto quando sinalizado. Por favor, não copie nenhum deles sem a devida autorização dos autores. Todos os direitos reservados.


Seguidores