87th Academy Awards: Melhor Filme

21.2.15



And the Oscars go to...
Para mim! Uhuulles! Que pela primeira vez conseguiu assistir a todos os oito indicados a Melhor Filme do Oscar! Yeeeeeh! Essa é uma experiência que eu pretendo repetir nos próximos anos porque me fez enxergar algumas coisas que me deixaram um tanto decepcionada com esse Oscar. Mas como eu sou uma pessoa muito complexada, claro que mesmo assim irei assistir ao Red Carpet e à cerimônia e estarei empolgadamente (ou não) comentando tudo no Twitter domingo xD Então, vamos lá saber o que eu achei de cada filme indicado?! Começando com...



"EXISTEM TRÊS TIPOS DE PESSOAS NESSE MUNDO: AS OVELHAS, OS LOBOS E OS CÃES PASTORES." 

Adaptado do livro American Sniper: The Autobiography of the Most Lethal Sniper in U.S. Militar History, o filme conta a história real de Chris Kyle (Bradley Cooper), atirador de elite das forças especiais da marinha americana, que matou mais de 150 pessoas, tendo recebido diversas condecorações por sua atuação na Guerra do Iraque.
Título: Sniper Americano
T. Original: American Sniper
Diretor: Clint Eastwood
Duração: 2h12min
Gênero: Drama, Biografia, Guerra






Fraco. Discurso de valores à parte, minha análise desse filme foi técnica e ainda assim American Sniper é um filme de guerra fraco. O único prêmio que devia ganhar é o do melhor bebê falso em cena. Sério, joguem no Google! Tudo bem que de repente ocorre um imprevisto e a produção fica sem o bebê real, mas, poxa, então tira o bebê de cena. É tão difícil assim? E tiroteio em meio a uma tempestade de areia? Sorry, Eastwood, não me impressionou. Além disso, o filme é excessivamente e cegamente patriota. Não curti.



"ÀS VEZES SÃO AS PESSOAS DE QUEM MENOS IMAGINAMOS ALGO QUE SÃO CAPAZES DE FAZER COISAS QUE NINGUÉM IMAGINA." 

Durante a 2ª Guerra Mundial, o governo britânico monta uma equipe para decifrar o Enigma, o código que os alemães usam para enviar mensagens aos submarinos. Um de seus integrantes é Alan Turing (Benedict Cumberbatch), um matemático estritamente lógico e focado no trabalho e tem problemas de relacionamento com praticamente todos à sua volta.
Título: O Jogo da Imitação
T. Original: The Imitation Game
Diretor: Morten Tyldum
Duração: 1h55min
Gênero: Drama, Biografia






Mais do mesmo. Veja bem, foi ótimo trazer a história do Alan Turing para o cinema até para que os professores do ensino fundamental parem de ensinar e fazer crer que guerras são vencidas com batalhas. O filme é bom? É. Cumberbatch já é motivo suficiente para te levar ao cinema? Também. O problema de O Jogo da Imitação é que ele seguiu o hollywood style, deu importância a diálogos já reciclados ("Oh, Alan Turing, você é um monstro!") e eu senti falta de um aprofundamento maior em alguns pontos da história.



"NÃO IMPORTA O QUANTO A VIDA POSSA SER RUIM, SEMPRE EXISTE ALGO QUE VOCÊ PODE FAZER, E TRIUNFAR. ENQUANTO HÁ VIDA, HÁ ESPERANÇA."

Baseado na biografia de Stephen Hawking, o filme mostra como o jovem astrofísico (Eddie Redmayne) fez descobertas importantes sobre o tempo, além de retratar o seu romance com a aluna de Cambridge Jane Wide (Felicity Jones) e a descoberta de uma doença motora degenerativa quando tinha apenas 21 anos.
Título: A Teoria de Tudo
T. Original: The Theory of Everything
Diretor: James Marsh
Duração: 2h03min
Gênero: Drama, Biografia






Emocionante. Ah, A Teoria de Tudo já era meu xodó antes mesmo de eu ir ver o filme, muito pelo elenco e por ser uma biografia do Stephen Hawking. Entrei no cinema pensando: Eu quero chorar, por favor. E chorei. Ele foi fiel à realidade na medida do possível para manter o roteiro agradável (mas a gente sabe que não é bem assim) e consegue nos passar tanto o lado da Jane quanto o do Hawking. Além disso, fotografia e trilha sonora estão lindas e atuação do Redmayne vale o Oscar de Melhor Ator.



"SABE COMO ESTÃO TODOS SEMPRE DIZENDO PARA APROVEITARMOS O MOMENTO? EU NÃO SEI, MAS PENSO QUE SEJA O CONTRÁRIO, COMO SE O MOMENTO APROVEITASSE A GENTE."

O filme conta a história de um casal de pais divorciados (Ethan Hawke e Patricia Arquette) que tenta criar seu filho Mason (Ellar Coltrane). A narrativa percorre a vida do menino durante um período de doze anos, da infância à juventude, e analisa sua relação com os pais conforme ele vai amadurecendo.
Título: Boyhood - Da Infância à Juventude
T. Original: Boyhood
Diretor: Richard Linklater
Duração: 2h45min
Gênero: Drama






Nostálgico. Tá aí o filme que melhor combinou os elementos técnicos com os sensíveis. Doze anos gravando, gente. Não é para qualquer um. E o Ellar Coltrane é apenas alguns meses mais novo do que eu, então me senti ali com ele, lendo Harry Potter, vendo Dragon Ball... O meu Oscar de Melhor Filme vai para Boyhood. É um filme longo, com altos e baixos, mas é exatamente essa a mensagem que ele quer passar, de mostrar como a vida é feita desses momentos únicos e flutuantes.



"QUANDO O DESTINO DE UMA GRANDE FORTUNA ESTÁ EM JOGO, A AMBIÇÃO DOS HOMENS SE ESPALHA COMO VENENO NA CORRENTE SANGUÍNEA."

No período entre as duas guerras mundiais, o famoso gerente de um hotel conhece um jovem empregado e os dois tornam-se melhores amigos. Entre as aventuras vividas pelos dois, constam o roubo de um famoso quadro do Renascimento, a batalha pela grande fortuna de uma família e as transformações históricas durante a primeira metade do século XX.
Título: O Grande Hotel Budapeste
T. Original: The Grand Budapest Hotel
Diretor: Wes Anderson
Duração: 1h40min
Gênero: Comédia, Drama, Policial






Normal. Não sei bem o que me fez implicar com esse filme; o lance é que enquanto a maioria amou, eu achei tudo meio normal em relação a alguns pontos da história. Só amei de verdade a última cena quando eles retornam ao presente. Acho que é porque O Grande Hotel Budapeste tem o estilo de comédia que para mim só é engraçado nos primeiros 30 minutos. Depois enjoa. Mas o filme em si é bom e tecnicamente falando é impecável. Merecidamente vai levar a maioria dos prêmios técnicos aos quais foi indicado (Melhor Maquiagem, Figurino, Direção de Arte...).



"NOSSAS VIDAS NÃO SÃO COMPLETAMENTE VIVIDAS SE NÃO ESTIVERMOS DISPOSTOS A MORRER POR AQUELES QUE AMAMOS, POR AQUILO QUE ACREDITAMOS."

Biografia do pastor protestante e ativista social Martin Luther King, (David Oyelowo), que acompanha as históricas marchas realizadas por ele e manifestantes pacifistas em 1965, entre a cidade de Selma, no interior do Alabama, até a capital do estado, em busca de direitos eleitorais iguais para a comunidade afro-americana.
Título: Selma - Uma Luta Pela Igualdade
T. Original: Selma
Diretor: Ava DuVernay
Duração: 2h08min
Gênero: Drama, Histórico, Biografia






Ótimo. Selma é sem dúvida o maior injustiçado do Oscar esse ano. Vamos lá, Academia, qual é o seu problema? Premiar dois filmes seguidos sobre negros é demais? Nenhuma indicação para David Oyelowo ou para a diretora Ava DuVernay? Que decepção! Selma ficou entre os meus favoritos dos indicados e apesar do caráter mais lento e político do filme, soube explorar muito bem o material histórico que tinha em mãos. Merecia muito mais que somente o prêmio (que já é dele, assim espero) de Canção Original.



"TEM UM MUNDO INTEIRO LÁ FORA ONDE AS PESSOAS LUTAM TODO DIA PARA SE TORNAREM RELEVANTES."

Riggan Thomson (Michael Keaton) fez muito sucesso interpretando o Birdman, um super-herói que se tornou um ícone cultural. Entretanto, desde que se recusou a estrelar o quarto filme com o personagem, sua carreira começou a decair. Em busca da fama perdida e também do reconhecimento como ator, ele decide dirigir, roteirizar e estrelar a adaptação de um texto consagrado para a Broadway. 
Título: Birdman (ou A Inesperada Virtude
da Ignorância)
T. Original: Birdman
Diretor: Alejandro González Iñárritu
Duração: 1h59min
Gênero: Comédia, Drama







Duvidável. Não gostei de Birdman. Quem gostou já pode começar a me julgar. Na verdade, acho que poucos gostaram, segundo os comentários nas críticas (positivas) que eu li. Não parece estranho que a crítica em si tenha amado o filme, mas o público em sua maioria não? Vou explicar o porquê. Birdman é um daqueles filmes que só ficam bons se você entender o que há nas entrelinhas e perceber os detalhes nas cenas. Só que isso não acontece com todo mundo. Vi algumas pessoas comentando que acharam o filme chato e sendo respondidas com "Você que não entendeu porque é um imbecil e só deve assistir Transformers."

Esse tipo de comentário me fez gostar menos ainda do filme e tenho para mim que qualquer genialidade que precisa ser massivamente explicada não chega a ser genialidade alguma, soa apenas como pura exibição. Outro ponto que eu não gostei é que o filme tem tom de crítica, mas, no final, o personagem principal se torna exatamente o que ele criticava (isso se você for pela interpretação A. Mas você pode ir pela B, ou a C, D... sacou?). No fim, cheguei a conclusão que, mais que uma crítica, Birdman é uma grande piada, pura ironia. Esculhambação que tenta imitar a vida real que já está mais do que esculhambada. Admito que é uma piada muito bem feita e pensada, ainda por cima no que se refere aos elementos técnicos, mas reservo meu direito de não curtir esse filme.



"NÃO HÁ OUTRA COMBINAÇÃO DE PALAVRAS MAIS NOCIVA DO QUE 'BOM TRABALHO'."

O solitário Andrew (Miles Teller) é um jovem baterista que sonha em ser o melhor de sua geração e marcar seu nome na música americana. Andrew chama a atenção do reverenciado e impiedoso mestre do jazz Terence Fletcher (JK Simmons) e entra para sua orquestra. Entretanto, a convivência com o abusivo maestro fará Andrew transformar seu sonho em obsessão.
Título: Whiplash - Em Busca da Perfeição
T. Original: Whiplash
Diretor: Damien Chazelle
Duração: 1h47min
Gênero: Drama







Tenso. Mas no bom sentido da palavra. Foi o filme que mais me prendeu e do qual eu não tiraria o olho da tela nem se o cinema estivesse pegando fogo (mentira). Mixagem de som perfeita, atuação do J.K. Simmons perfeita (o Oscar já é dele), ritmo perfeito, sabendo intercalar os momentos mais obsessivos com os mais calmos. E um p@%& final. O filme tem, sim, os seus momentos "Isso aqui é um filme, não vai acontecer na vida real" (o mais próximo que eu consigo falar sobre uma cena sem dar spoilers), mas ignora. Enfim, Whiplash é o único dos indicados que eu sei que posso recomendar para qualquer um, independente dos gostos da pessoa.


That's all, folks. Sei que muitos não vão concordar com tudo que eu falei, então sintam-se à vontade para deixar a sua opinião nos comentários. Se fosse eu entregando o Oscar, já disse, dava para Boyhood. É o filme mais próximo do público e ainda tem os doze anos de gravação, que eu não gostaria que passassem sem nenhum prêmio. Se não fosse essa combinação sensível + técnica de Boyhood, eu dava o Oscar para Selma. Whiplash não faz o estilo da Academia, mas é um must-see.

Porém, seguindo a tradição de que o Producers Guild Awards acerta quem ganha o Melhor Filme desde 2007, tem uma chance enorme de Birdman sair com a estatueta. O que para mim seria a cereja do bolo para mostrar o quão errado foi o Oscar 2015. Apenas não passa pela minha cabeça que um filme que critica blockbusters e atores/críticos em geral possa ser melhor do que um que combate o racismo. Mas vamos ver o que acontecerá no domingo! Quais são as apostas de vocês? :) 

You Might Also Like

14 Bilhetes

  1. Ticilinda! Primeiramente parabéns pela graça alcançada de assistir todos os filmes HAHAHA Eu falho todo ano miseravelmente, até que até agora só vi A Teoria de Tudo e estou achando que sai no lucro.
    O post ficou INCRÍVEL, sem mais! Adoro quanto você fala sobre filmes, dá pra perceber que você sabe e entende muto bem do que tá dizendo <3 Quero muito assistir O Jogo da Imitação, mas só por causa do Benedito e da Keira porque a história não me chama lá muito a atenção! Espero mesmo que o Eddie leve o Oscar de melhor ator porque eu fiquei muito emocionada com a atuação dele concordo em tudo que você falou sobre o filme! Boyhood é aquele filme que eu sinto que tenho a obrigação de assistir, mas ZzZzzZZzZ, sabe? Preciso de um preparo pra enfrentar quase 3 horas. Whiplash, esse definitivamente eu vou ver, mesmo que não vá muito com a cara do Miles Teller, e graças a sua indicação acho que posso gostar.
    Sobre Birdman: você jogou um balde de água fria em mim :( era o que eu mais estava empolgada para ver, a temática me parece muito interessante e tal, mas levando em conta tudo o que você falou eu tenho quase certeza que também não vou gostar.
    Mas, enfim... amei o post, quero você sempre falando de filmes e afins por aqui! E vamos torcer para o Oscar do ano que vem ser mais diversificado e menos elitista!
    Beijos!
    Debora.
    http://vanille-vie.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou me sentindo merecedora de Oscar por ter visto tudo kopokskkopksoopk
      Cara, acho que você vai gostar de O Jogo da Imitação pela história também! Quando for ver, me diz o que achou? *-* Não vou negar, Boyhood é enoooorme. Não assista quando estiver com sono! Sobre Whiplash, J.K. Simmons está tão brilhante que ofusca totalmente o Miles Teller, acho que não gostar dele definitivamente não será um problema rs
      Ai, desculpa por Birdman, conheço quem tenha gostado do filme, mas também não acho que seja seu estilo, não, Debs. Mas sei lá, vai que...
      O Oscar 2014 foi bem legal, o de 2015 já está causando polêmica desde que saíram os indicados. Acho que eles vão intercalando para estarem sempre entre os assuntos mais comentados rs C'est la vie. Muuuuiito obrigada pelo comentário! Toma aqui um Oscar para você também! *entrega a estatueta* xD

      Excluir
  2. Oi Tici,
    Que delícia ler suas opiniões...
    - Sniper Americano: Ri demais com aqueles bebês robôs - como se não bastasse um...e a cronologia é bagunça pura
    - O Jogo da Imitação: Super concordo, faltou ousadia e alegria nisso aí hahaha
    - A Teoria de Tudo: Lindo mesmo, mal começou eu já tava chorando =x
    - Boyhood: Não tem como não se identificar, merece pelo menos de Melhor Diretor, apesar de eu estar sentida pela falta do Fincher
    - Hotel Budapeste: amorzinho que eu colocaria num potinho
    - Selma: Lindo, aquele discurso final arrepia até em lugares desconhecidos
    - Birdman: Complexo, mas por incrível que pareça achei divertido em algumas partes, as vezes parava pra refletir... mas eu concordo com vc, detesto esse tipo de julgamento, povo quer meter o dedo até na personalidade alheia.
    - Whiplash: Favorito, sem mais

    Adorei saber sua opinião e nos resta torcer \o

    P.S.: Se tiver filmow, passa aí hahahahaha

    bjs e tenha um ótimo domingo
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaah, me abraça (>*-*)>
      Nossa, sim, a cronologia toda mal pensada, jogada de qualquer jeito. Essa indicação de Melhor Filme para Sniper Americano também me deixou furiosa com essa edição do Oscar. Também acho que o Linklater ganha o Melhor Diretor, vou achar injusto se não acontecer rs Falando em Hotel Budapeste, senti falta de uma indicação de Melhor Ator para o Ralph Fiennes :/
      Selma é amor! <3 Também me diverti com o começo de Birdman, até perceber que eles estavam falando sério sobre tudo aquilo e aí já não vi mais o filme com os mesmos olhos. No fim, achei tudo pseudo-cult, forçando a barra para parecer diferente e inteligente. Mas ainda assim merece algum prêmio (Cinematography ou Melhor Roteiro Original). IA SER O MELHOR OSCAR SE WHIPLASH GANHASSE HAHAHAHAHA

      Não tenho Filmow, mas vou criar um e aí te passo! o/
      Bjusss e ótimo domingo - ótimo oscar tbm - para vc! rs

      Excluir
  3. Olha, meu dinheiro tá em Birdman, até porque você viu minha resenha. Fiz uma lista geral de quem eu acho que vai ganhar. Ano passado fiz o mesmo e acho que acertei uma boa porcentagem, dessa vez estou mais confiante ainda. Não vi Selma ainda, como não vi quase nenhum dos filmes concorrendo. Achei os prêmios desse ano conservadores demais, como sempre os nomes mais interessantes tão na categoria de melhor filme estrangeiro - Timbuktu, Tangerinas e Ida parecem ótimos. A questão de Selma..., toda a questão racial no cinema é muito mais profunda que as escolhas da Academia. Teria que dedicar um texto inteiro a esse tema, e pretendo fazer isso logo, mas não basta o Oscar se "diversificar", tudo começa nos produtores. Quantos filmes "etnicamente abertos" você viu esse ano? Quantos que não sejam sobre um momento histórico? Por que negros/latinos/gays/etc. só podem protagonizar filmes históricos? Enfim, é um assunto complicado. Ainda acho que, esquecendo a profundidade do assunto, Birdman é em geral uma produção melhor e mais complexa. Ignore as resenhas sobre Birdman, sério, essa gente culta é de dar nos nervos. Um dos pontos de Birdman é que críticos não servem pra nada. Achei Birdman um retrato interessante do que se passa no cinema. Não é nem de perto um filme tão complicado, "difícil de entender", quanto dizem por aí.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, Raphael, você levantou uma questão interessante. Ainda tem muito preconceito nesse mundo, mas acho que os poucos filmes sobre negros/latinos/gays, históricos ou não, acabam ajudando a diminuir um pouco a intolerância. A estratégia de trazer o Cumberbatch para interpretar o Alan Turing, que era gay, levou milhares de pessoas a conhecer a história do matemático. Selma não tem essa estratégia, aí ninguém liga para Selma. Ninguém nem ia ver Selma se ele não fosse indicado, assim como ninguém nem ia ver 12 Anos de Escravidão se ele não tivesse nas headlines por conta do Oscar do ano passado. Foi isso que mais me irritou nesse Oscar: colocar Birdman, Boyhood ou American Sniper nas headlines tira os holofotes de filmes que, para mim, tem um papel transformador muito maior, como Selma, que, por sinal, é fruto de uma iniciativa que nos últimos anos tem juntado produtores e diretores para abrir no cinema um espaço maior para as minorias. Se as premiações mais importantes não reconhecerem isso, ninguém mais reconhece.
      Concordo com você, dos indicados ele é o mais ousado e o mais complexo. Mas não gostei do final e de como tudo é uma grande ironia com a carreira do Keaton. E não só dele. Olha o Ben Affleck. Ele estava esquecido também, fez Argo, ganhou o Oscar, virou o Batman. Daqui a pouco estão colocando uma capa de novo no Keaton também. O próprio Riggan no final se torna o Birdman de novo. E aí toda a crítica que o filme quis passar se perde, entende? :/
      Acho que foi por tudo isso (e ainda mais por essas pessoas babacas se aproveitarem de Birdman para se exibirem e menosprezarem as outras) que eu não gostei desse filme. Mas reconheço o potencial dele, de verdade.

      Excluir
  4. Ai que sorte a sua. Desses eu só consegui ver A Teoria de tudo. Eu queria ter visto todos para poder torcer pelos concorrentes (eu faço isso com o grammy kkk). Mas depois eu vejo os filmes e avalio quem mereceu ou não. Me interessei pelo Hotel Budapeste, Selma e Boyhood (12 anos de gravação não é para qualquer um -como você disse).

    Seu blog está lindo. Parabéns.
    bjs bjs
    formula-amor.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi, Tici! Tudo bem?
    Ai, adorei a sua postagem! Meu, como você conseguiu ver todos esses filmes? Acho que não assisto filme nenhum desde o ano passado! Então estou um pouco por fora dos lançamentos (o que é um cinema? é de comer?) mas graças aos céus não fiquei feito uma pateta sem conhecer nenhum dos citados.
    Fiquei contente em ver que gostou de A Teoria de Tudo, porque eu pretendo ver e ler o livro. Já Sniper Americano, é uma pena que não tenha gostado. Ainda não vi, mas meu irmão está maluco pra ver!

    Um beijo,
    Doce Sabor dos Livros - Aguardo a sua visita!

    ResponderExcluir
  6. Oi Tici, sua linda, tudo bem?
    Eu não entendo muito de cinema, e não vi nenhum dos indicados para poder debater com você, risos... Mas hoje eu li uma crítica sobre o filme Whiplash - Em Busca da Perfeição e fiquei maravilhada com a história. De todo os que citou, e depois da crítica que eu li, somada a sua opinião, esse é o que eu gostaria de assistir.
    Bem, o Producers Guild Awards acertou novamente, pois Birdman levou a estatueta para casa. Você não citou um filme que eu gostaria muito de ver e levou a estatueta de melhor atriz: Para sempre Alice. E o ator de A teoria de tudo, levou a estatueta de melhor ator. Achei que esses dois prêmios foram merecidos, mesmo sem ter visto os filmes.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oooooooi, Cila! :D
      "Whiplash" é puro amor, filmaço, super indico de verdade! <3
      Blé, pois é. É um filme original e tal, mas de longe não era o melhor dos indicados, era apenas o mais cult e a Academia gosta de ser cult. "Para Sempre Alice" ainda não estreou aqui, só em março. Também concordo que todos os atores que levaram a estatueta foram super merecidos! <333 Beijos :*

      Excluir
  7. Só vi o Birdman e o Grande Hotel Budapeste. Agora já sabemos quem ganhou hehe,mas espero ver os outros pq adorei esses dois.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assiste os outros, sim, May! É bem bacana ver tudo e concordar ou não com os escolhas da Academia! rs xx

      Excluir
  8. Oi Tici!
    Acho que ando meio por fora do universo do cinema, preciso me inteirar mais. Assisti o Oscar e só nele tomei conhecimento de muitos filmes. Gostei bastante de sua abordagem de cada filme, ainda não vi nenhum deles, mas me interessei por Birdman e A Teoria do Tudo.

    Bjos

    www.blogandolinhas.com.br

    ResponderExcluir
  9. Eu quero desesperadamente assistir A Teoria de Tudo e o meu namorado quer assistir Whiplash - Em Busca da Perfeição. Eu estava receosa quanto ao última, mas pelo o que voce disse o filme é muito bom!!!
    Abraços ^^

    citacoesdeumleitor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Copyright

Todas as fotografias e textos publicados são produzidos pela equipe do Feito Poesia, exceto quando sinalizado. Por favor, não copie nenhum deles sem a devida autorização dos autores. Todos os direitos reservados.


Seguidores