[Resenha] Ivvi

27.8.14



Ivvi

Escrito pelo brasileiro Leandro Andreo, com 120 páginas e publicado 
pela editora Pandorga.

"Neste asfalto cinzento, nesta rua, uma flor, inda tímida, aparece. Enfrenta a poluição e não recua, embeleza um 
lugar que não merece."*



Amor... O tema imortal, rescrito por séculos e séculos sem se tornar cansativo ou repetitivo e que, por isso, alguns podem até pensar que seja um dos temas mais fáceis de se escrever sobre. Nem sempre (talvez até nunca). Para se escrever sobre o amor é necessário mais que saber organizar as ideias e ter uma boa gramática. É necessário sentimento, se colocar por inteiro num conjunto de palavras e escrever com o coração. Ivvi é um livro sobre o amor, escrito com sentimentos. 

E o que mais para representar o amor do que a relação de um poeta com a sua musa inspiradora? Na obra de Leandro Andreo há um poeta promissor expressando através de nobres poesias os sentimentos aflorados após o surgimento de uma paixão inesperada. Ansiedade, desejo e tristeza saltam dos versos, acompanhando o processo de início, meio e fim de uma relação que pode-se até dizer platônica.


"Ah! Aqueles olhos verdes... Como não se apaixonar? Eu confronto fome e sede, posso atravessar paredes, só pra neles reparar."* [pág. 27]

O livro tem 54 poemas divididos em cinco partes, mais o soneto base. Na primeira parte (O Amor), o poeta descobre os efeitos da paixão no ser apaixonado, capaz de enxergar cores em dias cinzentos e de ter delírios e passar noites acordado. Não sou expert em poesia, já esqueci o que é um verso alexandrino e já preciso parar para pensar antes de responder o que é um soneto, mas senti uma certa tendência no livro: a de que os poemas foram criados de uma maneira engenhosa para refletir os sentimentos do poeta de acordo com a fase do amor em que ele se encontra.



Dessa maneira, vi poemas com rimas mais claras e sequenciadas, musicais e de fazer os olhos brilharem enquanto o poeta começa a embarcar na paixão, onde tudo ainda são flores e amar é visto como um presente (fazendo uma breve pausa apenas para dar destaque aos poemas O frio na barriga, Na selva de pedraOh, Ivvi, eu escalo entre outros que são ma-ra-vi-lho-sos!). Na fase da exaltação e na da conquista o sentimento se revela em seu máximo, com versos de fazer suspirar.

"Eu domo leões, cometo delito, resolvo equações, conto ao infinito até acabar. Só para te mostrar tamanho do amor por certo é maior que podes supor que eu possa te dar. Oh Ivvi, eu imploro: me deixes te amar."* [pág. 73]

E então, de repente, o tom muda, a linha oscila. As rimas e métricas continuam presentes, mas o poeta está diferente. É nítida essa diferença até na forma e estrutura dos poemas, especialmente nas partes finais do livro. Senti o meu próprio coração se apertando porque soube que estava chegando naquele momento crítico da jornada do herói. Mas espera aí... Os antenados devem estar se perguntando: Jornada do herói? Em poesia? Pois é, mesmo através somente de poemas, o autor conseguiu criar uma narrativa. Uma narrativa para o sentimento amor, que, como tudo na vida, também acaba encontrando um final e um recomeço.



"Como podes contrapor romantismo e sentimento, dizendo que de cimento é feito teu coração? Se a todos atinge o amor, não podes ser exceção! (...) Tentarei me recompor e seguir minha vida. Eu tive a alma destruída, mas aprendi a lição. Se a todos atinge o amor, provastes ser exceção."* [pág. 88]

É claro o empenho empregado pelo Leandro na criação de cada verso, cada rima, para compor uma série de poemas vinculados, que fluem bem rápido. Além disso, a edição do livro é bem caprichada, com detalhes no miolo de curvas, corações e passarinhos. Os poemas não são difíceis de entender e nem por isso carregam menos prestígio. Então, para quem adora poesia, para quem ama ver palavras se encaixando sonora e logicamente, eu mais do que recomendo Ivvi. E deixo também os meus parabéns ao autor pela construção da linda obra!

*As estrofes destacadas foram copiadas aqui fora do padrão versificado do texto original.

You Might Also Like

15 Bilhetes

  1. Não conhecia o livro, mas fiquei louca. Que linda capa e tudo que falou me encantou definitivamente. Eu amo poesias e não tem explicação, apoio com toda força os autores que lançam algo do gênero. É bom livros escritos de maneira simples, quando escrevi meu livro de poesias também optei por uma linguagem descomplicada. Acho que é por muitas vezes se apresentar com texto muito complexo que faz com que a maioria das pessoas não gostem do gênero.
    Beijos!
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  2. Oiee ^^
    Não sou muito fã de livros pequenos e de poemas, mas esse conseguiu chamar minha atenção. Acho que foi a capa, ou a sinopse *-* concordo com a Paloma ali em cima, a capa é linda ♥
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oláááááá!
    Tiiiicii não sou a maior fã de ler poemas... acho que sou pouco artista e mais direta sabe?
    daaai quando me pego lendo poemas tenho que ler e reler para ver se captei tudo que podia sabe? As vezes me pego em diferentes interpretações para cada poema... acho liiindo, mas fico sempre na expectativa para saber qual era a real intenção do autor sabe?!
    Mas esse livro parece ser incrivel e tenho certeza que é o tipo de livro que meu pai iria AMAR!

    Um beeijo Lara.
    Blog Meus Mundos no Mundo | | Página Coração Furta-Cor

    ResponderExcluir
  4. Oiee, tudo bem?

    A capa desse livro é tão profunda. Acho linda. Gosto de livros de poemas, mas confesso que há muito tempo não leio um.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Tici, tudo bem???
    Sumi um pouco, peço desculpas.
    Antes de mais nada, gostaria de fazer uma observação: sua resenha está muito bem escrita, parece que a poeta aqui é você, risos...
    Então, é a segunda resenha que leio desse livro hoje. Sempre achei que os poetas são aqueles que escrevem sobre o que sentem e vivem. Pelos trechinhos que colocou, já deu para perceber que realmente, o texto tem sentimentos. parece ser muito bom mesmo, desejo sucesso ao autor. Dica anotada.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi, Tici!
    Opa, para quem ama poesia, tipo eu?! o/
    Acho que vou gostar bastante desse livro, como gostei da sua resenha!
    E suas opiniões sobre os livros sempre batem com as minhas, então... confio bastante!
    Mas o que mais me intrigou foi quando você disse:"E então, de repente, o tom muda, a linha oscila." "É nítida essa diferença até na forma e estrutura dos poemas, especialmente nas partes finais do livro."
    O escritor deve ser muito bom mesmo para conseguir fazer da forma escrita do poema uma maneira de identificarmos a mudança na história... adorei! :)
    Estou bastante curiosa... vou dar uma atenção para esse livro no próximo passeio na livraria...rsrs
    Bjs, Lu
    http://resenhasdalu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Tenho uma certa queda por poemas e poesias, e, ao meu ver nada se compara ao grande Vinicius de Moraes de quem sou eternamente fã.
    Poesias são pilulas de conformidade e retidão, elas enebriam a alma e o coração.
    Longe de mim querer escrever poesia, mas não há escrita mais sucinta, viva e prazerosa do que um belo poema ritmado. Ivvi parece bem isso, aquele livrinho que você olha acha bonitinho e mesmo assim ignora, o acha desmerecedor de sua atenção, porém, ledo engano, pois quando aberto é quase impossível fecha-los antes do fim. É nisso que poesias e poemas encantam, a magia de nos prender, de nos fazer sentir o que o autor sentiu.

    Julielton Souza - Dialética Proposital

    ResponderExcluir
  8. Oii,

    Eu lembro quando você comentou sobre o livro, confesso que não sou muito fã de poemas e poesias, mas gosto. Gostei da sua resenha e leria com certeza :)

    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Tici,
    Não conhecia esse livro, mas me encantei. Senti os sentimentos transbordando das frases que li.

    "Eu domo leões, cometo delito, resolvo equações, conto ao infinito até acabar. Só para te mostrar tamanho do amor por certo é maior que podes supor que eu possa te dar. Oh Ivvi, eu imploro: me deixes te amar."

    Adorei! Ótima resenha e ótima dica ^^
    E como sempre: Ótimas fotos.
    Beijos

    citacoesdeumleitor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Já tinha visto a resenha desse livro em outros lugares e estou muito curioso quanto a ele. Espero poder ler em breve.
    Adorei a sua resenha.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de agosto

    ResponderExcluir
  11. Ticilinda! Tudo bom
    Primeiramente, que capa linda! Adorei a maneira como ela se destaca, me encantou já totalmente, mesmo antes de ler a resenha e saber sobre o que o livro guarda. É verdade mesmo, escrever sobre o amor é algo muito complicado e todos tem sua própria definição e ideia do que ele é, mas já dei pulinhos aqui ao ler que esse livro conseguiu abordar esse sentimento tão maravilhoso e devastador.
    Que lindo! Amo poemas e ler que cada um deles é ligado a evolução do amor do poema é maravilhoso. É como ler um pouco sobre seu primeiro amor e todo aquele turbilhão de sentimentos que acabamos sentindo e não sabemos administrar, chega até ser assustador, não é?
    O livro me parece ser ótimo e sua resenha está maravilhosa como sempre! Espero poder um pouco mais pra frente conseguir ler e me apaixonar.

    Beijinhos,
    Percepções Blog | Grupo: Mais um livro, Por favor!

    ResponderExcluir
  12. Não sou tããããoooo chegado assim em poesia, mas adorei a capa, e o trecho que você citou!
    Por ser um livro pequeno, se eu ver por aqui talvez acabe dando a chance!
    (E adorei essa capa!!!)

    Beijos,
    Thiago - Blog GentleGeek

    ResponderExcluir
  13. O livro parece ser ótimo, adoro poesia, fiquei bastante interessada em ler!

    ResponderExcluir
  14. O Leandro é um querida né Tici? e não preciso nem dizer que fiquei mega feliz quando ele me propôs parceria ;) estou com ele na minha fila de leitura e espero me encantar assim como foi sua resenha <3

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir

Copyright

Todas as fotografias e textos publicados são produzidos pela equipe do Feito Poesia, exceto quando sinalizado. Por favor, não copie nenhum deles sem a devida autorização dos autores. Todos os direitos reservados.


Seguidores