[Resenha] O Lado Bom da Vida

12.7.14



O Lado Bom da Vida

No original "The silver linings playbook", escrito pelo estadunidense Matthew Quick, com 256 páginas e publicado no Brasil pela Intrínseca.

"Você precisa saber que são suas ações que fazem de você 
uma boa pessoa, não sua vontade." 



Pat Peoples acabou de sair de uma temporada num hospital psiquiátrico. Ele não lembra o que provocou sua ida para o lugar ruim, mas está ciente das consequências: perdeu o emprego e a esposa, precisa tomar remédios e frequentar um psicólogo e adquiriu aversão a Kenny G. Apesar de tudo, Pat está determinado a mudar. Malha esforçadamente para não sair mais de forma, procura sempre ver o lado bom das coisas, e está disposto a recuperar sua ex-mulher... Até que seu caminho se cruza com o de Tiffany.

Tiffany perdeu o marido há um tempo e entrou em crise, fazendo coisas das quais hoje ela se arrepende, mas que na época a ajudaram a lidar com a perda. Ela também perdeu o emprego, tem uma psicóloga, precisa de medicamentos e encontra alívio se exercitando, mais precisamente dançando. Mas, diferente de Pat, está determinada a seguir em frente e fazê-lo enxergar que colocar um ponto final no passado é sempre o melhor remédio.



"... Tommy era um homem bom. Ele não merecia morrer, e a sua morte é prova cabal de que a vida é escrota, aleatória e arbitrária, até que se encontre alguém que faça tudo isso fazer sentido, mesmo que apenas temporariamente." [pág. 241]

Quem assistiu ao filme homônimo e ainda não leu o livro provavelmente deve se perguntar "Será que é parecido com o filme? Será que é melhor? Pior?" Bem, já vou deixar logo claro que a resposta é não. O livro não é muito parecido com o filme. Os elementos mais importantes permanecem, a mensagem permanece, mas o que no livro é apenas um ou dois capítulos, no filme se torna o arco central da história. E se você ainda não está convencido, vou repetir o que a equipe de marketing da Intrínseca disse durante um evento: O filme é uma comédia romântica. O livro é um drama.



Ressalva feita, vamos falar agora somente do livro. Ele teve duas coisas que me irritaram durante a leitura. A primeira foi a narração no presente, não curto, mas não sei bem explicar o por quê. É como se perdesse um pouco daquele sentimento de que a história realmente aconteceu. Mas isso é implicância minha, então não levem como um ponto negativo. A segunda coisa foi o uso desenfreado das repetições. Perdi as contas de quantas vezes o Pat repetiu que estava procurando sempre ver o lado bom das coisas e estava quase jogando o livro pela janela se eu lesse mais uma vez o "Ahhhhhhhhhh" do hino dos Eagles.

Sei que as repetições têm serventia para mostrar o estado meio desequilibrado e bobo do Pat, que não se lembra do que fez e está encarando a vida de novo como se estivesse acabado de renascer. O Pat renascido é incrível, um homem sem maldade, que pratica a gentiliza e quer consertar seus erros do passado, e isso fica claro nas repetições. Mas como tudo em excesso é ruim, a gente acaba levando um tempo até se acostumar com a narrativa do Quick e com, por exemplo, o fanatismo da família Peoples pelo futebol americano.

"A vida não é um filme de censura livre para fazer com que a pessoa se sinta bem. Muitas vezes a vida real acaba mal..." [pág 193]



"É bom que a música tenha feito você chorar, Pat. Agora, só precisamos transformar essas lágrimas em movimento. Você precisa chorar através da dança." [pág. 168]

Apesar de tudo dito acima, adorei O Lado Bom da Vida. Adorei a forma como o Quick recriou uma história de amor usando dois personagens improváveis e marginalizados pela sociedade. Adorei a Tiffany, mesmo com a  sua inconstância. Ela é uma mulher forte, mas não tem vergonha de buscar conforto num abraço. Adorei a forma como o autor desmistifica os clássicos da literatura (Hemingway mentiu!), só para depois mostrar o quanto se pode aprender com eles. E como vocês podem ver na foto acima pela quantidade de post-it, adorei as frases e as lições que se pode tirar dessa história que todos deveriam conhecer. Resumindo: eu recomendo o livro para quem consegue encarar uma narrativa mais lenta sem fazer cara feia, mas se não é o seu caso, é só dar uma conferida no filme e ser feliz! ;)

Lembrando que O Lado Bom da Vida está disponível para sorteio aqui no blog. Para participar, se inscreva aqui

You Might Also Like

24 Bilhetes

  1. Amei a tua resenha!
    Ficou muito clara e bem escrita, fez jus ao livro! De fato, assim como você tenho um probleminha com livros narrados no presente, com esse não foi diferente haha
    Mas esse livro é um amor, adoro a Tiffany e adoro a forma como o autor colocou esse novo amor nessa escrita tão simples!
    Parabéns pela resenha ♥
    Beijos!
    www.gramatifiquei.com

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Bom, eu gostei bastante do livro mas confesso que esperava bem mais, e por incrível que pareça de uma certa forma, gostei mais do filme, achei mais agitado, não sei explicar haha.
    Sua resenha está ótima e que bom que tbm gostou da leitura.

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/2014/07/tag-copa-de-livros-2014.html

    ResponderExcluir
  3. Olá Tici,
    Não assisti o filme ainda, quero ler o livro primeiro, mas parece que não são parecidos né?
    Estou participando do sorteio e torcendo muito!!!
    A sua resenha ficou bem clara. Esse parece o tipo de livro para apreciar, não devorar. Gosto desse tipo de leitura.
    Bjos e que a sorte esteja sempre comigo! =D

    citacoesdeumleitor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Se eu te disser que foi a primeira resenha desse livro que li você acredita? Pois é! Pulei as resenhas dele lindamente por um misto de preguiça e falta de vontade de saber a respeito, esse titulo "O lado bom da vida" me pareceu tão "alto ajuda disfarçada de literatura para vender muito", mas passado o bum do filme e tudo e tal resolvi dar uma chance ao livro e ler essa resenha postada tão depois do bum também!!! Não me arrependi, você me fez olhar para o livro mais do que todo a propaganda feita dele somada ao Osca. Qualquer dia desses talvez me pegue lendo esse livro e talvez até escrevendo sobre ele... Quem sabe?!?!

    Cheros, Pandora.

    ResponderExcluir
  5. Oi Tici, tudo bem?
    Eu só vi o filme, portanto, quando li na sua resenha seu comentário, eu na mesma hora ri, porque foi exatamente o que passou pela minha cabeça: saber se o livro era melhor do que o filme. Engraçado, eu gostei do filme, mas só, ponto. Não veria o filme novamente (quem me conhece sabe que vejo o mesmo filme várias vezes quando gosto, risos...), então, nunca quis ler o livro.
    Continuo não muito interessada, apesar do drama dele tornar a história diferente aos meus olhos.
    mas gostei da sua resenha.
    beijinhos.
    cila-leitora voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Ainda não li o livro, mas acho a premissa desse livro bem interessante. Pretendo ler em breve.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de julho

    ResponderExcluir
  7. Olá Tici!!

    Pois é, o que eles fazem com as adaptações né... medo sempre define!!
    Eu acho essa capa incrível... adoro quando podemos já ter em mente a fisionomia dos personagens da história. A um tempo atrás eu não leria esse livro, mas hoje acho que isso mudou e esse livro seria uma boa pedida. A sua resenha está ótima!!

    Beijos,

    Marcelle
    www.bestherapy.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Tici,
    Ainda não li esse livro e nem assisti ao filme. Fiquei com vontade de ler, apesar de nem sempre ter muita paciência para livros mais lentos...
    Caramba, eu achei suas fotos lindas!!!! Amei :)
    Beijokas,
    http://minhacontracapa.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Eu adoro esse livro! Vi o filme e gostei muito, daí fui ler o livro e não me desapondei :)
    Achei sua resenha ótima e super pertinente.
    Só uma pergunta, por curiosidade: aquilo do lado do café são batatas? o.o

    Beijinhos,
    Prudence
    http://prudencethedeer.blogspot.com.br/

    PS: quase esqueci de comentar que acabei de conhecer seu blog e simplesmente adorei o nome dele :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! :D Sim kkkkkkkkkkkk são batatas Pringles (comi a maioria antes de tirar todas as fotos)! E ah, muito obrigada pelos elogios! xD
      xx

      Excluir
  10. Oi Tici!
    Eu fui uma que assisti o filme e depois dele fiquei com muita vontade de ler o livro. Achei ótimo você salientar as diferenças. Já vi outros blogueiros dizerem que a essência da história permanece, mas algumas coisas são muito diferentes, nem melhores, nem piores, apenas diferentes.
    Não tenho medo de narrativas lentas, desde que elas tenham uma razão de ser, como parece ser esse o caso. Alias, li "Perdão, Leonard Peacock" do mesmo autor e gostei muito da narrativa dele, o que me deixou com mais vontade de conferir "O Lado Bom da Vida"
    Beijos
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Oi Ticilinda queen!

    Eu gostei muito do livro quando li, mas assim como você, odiei os "Ahhhhhhhhhhhhhhhhh" hahahahah E também algumas coisas repetitivas... Mas confesso que num todo eu amei a obra do Matthew. Eu também fiz várias citações hahahahah É uma narrativa lenta mesmo e em alguns minutos cansativas, mas vale super a pena :3

    Beijocas
    http://www.estantedasfadas.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi Tici linda, como sempre fotos lindas e resenha perfeita ^^ Desde que saiu o filme eu tenho o meu exemplar do livro na estante mas ainda não tirei de lá. Pois pensava... poxa já vi o filme, não preciso ler agora, mas com suas ressalvas agora sei que pretendo ler muito em breve.

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  13. Olá, Tici <3.
    Fotos lindas (como sempre). Olha, nunca tive interesse de ler esse livro, geralmente obras que tem muito burburinho não me atraem (salvo raras exceções como HP, THG e Divergente) e com esse não foi diferente. Mas o livro foi tão elogiado por você que é impossível não ter vontade de ler, rsrs. Quem sabe um dia?
    Beijos.

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Oie! haha
    Eu assisti o filme e gostei bastante! Ri muito, chorei também! E sempre que posso dou uma conferida na dança final, acho incrível aquela apresentação :3 E apesar de achar que a Jen atuou muito bem, para mim quem merecia um Oscar mesmo era o Bradley, fiquei impressionada e tocada com a interpretação dele.
    Eu ganhei o livro de um amigo, mas ainda (como parece acontecer ultimamente) não arrumei tempo para ler, mas minha amiga já leu e não gostou muito. A principal reclamação dela também foi sobre o fanatismo pelo futebol e a constante repetição do hino haha Eu vou ler, só não sei quando; porém saber que tem ótimas frases e tal me anima, geralmente gosto de livros assim.
    Beijos!
    http://vanille-vie.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Oiee ^^
    Eu gostei bem mais do filme que do livro, me dou bem melhor com comédias românticas que com drama *-* Mas gostei bastante do livro também, por mais que estivesse enlouquecendo com os hinos *-*
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Oi Tici!! Amei a sua resenha! Ela foi tão sincera, fora que mesmo sabendo que eu estava lendo um texto, mais parecia que vocês estava aqui conversando pessoalmente, o que foi muito legal!! Parabéns!!
    Eu já venho há um tempo querendo ler esse livro, mas sempre ficava aquela pergunta se ele era ou não parecido com o filme, e ainda bem que eu encontrei a resposta kkkk Sempre vejo ótimas críticas em relação a ele.
    Eu já li outro livro do Matthew Quick: Perdão, Leonard Peacock e como gostei muito da história do Leonard, que de cara virou uma das minhas favoritas, espero não me decepcionar com O Lado Bom da Vida!!

    Beijos
    livroscomchadastres.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Tici, sua linda! Adoro suas resenhas, essa não podia ser diferente né! =D
    Ainda bem que você já avisou sobre o filme, porque a ~anta~ aqui foi correndo assistir depois de ler o livro, e fiquei tipo: "Nããããããããããoooo!"
    Hahahaha. As partes mais legais do livro simplesmente foram ignoradas no filme! E odiei o que fizeram com a cena final, aff. Mas enfim, adaptações que não são fiéis aos livros são o que não faltam na nossa dura vida de leitor né.
    Ah tô participando do sorteio, mas só por esperança mesmo, porque nunca ganhei nem rifa na escola! Hahaha. Quem sabe 'a sorte esteja a meu favor' desa vez né!
    E Tici, sua linda, sinta-se "intimada" a responder a TAG Book Cake! Vou adorar ver esses cupcakes aqui no Bibliophilarium ♥
    Beijos,

    Mari
    Livros & Nerds

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu vi o filme primeiro, comecei a ler o livro e já estava achando tudo muito parecido até que pah, começaram a surgir aquelas cenas que não tem no filme por ele ter focado apenas na competição de dança. Convenhamos também que o livro mostra muito mais da Tiffany, e Tiffany é amor! <3
      Boa sorte, Mari! Não perca a fé!
      Aaah, que graça! Muito obrigada, irei responder com muito glacé e te aviso quando fizer! Muito obrigada mesmo, linda! xx

      Excluir
  18. Oii!
    Eu vi o filme logo que lançou e não gostei muito, quando vi que era baseado em um livro fiquei muito curiosa para saber como é a obra original... Mas depois deixei pra lá e acabei que nunca li!
    Adorei suas quotes! Me deu uma animada sua resenha, mas quem sabe mais no futuro! :)

    um beeeijo Lara!
    meusmundosnomundo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  19. Oiii Tici. Eu tava meio sumido, não é (tô sem um blog meu por enquanto), mas pode deixar que vou voltar a acompanhar os posts :D

    Já assiti ao filme de O Lado Bom da Vida e eu adorei! - mas sou suspeito por gosta d tudo da Jennifer Lawrence. Adorei o tema! E, quanto a resenha, sei bem o que é essa coisa de repetição (e raramente gosto também) mas parece que todos gostam desse livro. Tenho certeza de que é bom =D

    ResponderExcluir
  20. Oi Tici
    Me irritei com as mesmas coisas que você durante a leitura desse livro. Por mais que o lado repetitivo deva ser compreendido, paciência tem limites né?
    Também não gostei do excesso de futebol americano contido na história. A vontade que eu tinha era de pular todas aquelas partes.
    No mais, eu adorei a história. Achei o Pat encantador. *-* E gostei muito do modo intenso como o autor retrata a história.
    Já tentei ver o filme algumas vezes mas nunca consegui. Acho que é um sinal. Não vou ver. rsrs

    Beijoo
    http://sem-spoiler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Oi!
    Não li o livro, só vi o filme...
    Mas o que mais me impressionou na história foi justamente a questão da "história de amor para dois personagens marginalizados na sociedade"... Na verdade, pensar na doença desses personagens enquanto características geradas na própria família de cada um... porque cada família ali tinha suas questões exaltadas... e como cada um dos dois nesse casal de "malucos" conseguiu ajudar o outro a sair desse círculo problemático de doença e se encontrar, formando suas próprias vidas independentes e amorosas...
    NOssa... não sei se me fiz entender... mas é por aí...rs
    Bjs, Lu
    http://resenhasdalu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. mai sua resenha,eu vi o filme primeiro então fiquei meio que com medo de ler o livro e estragar o efeito,mas ele e um livro que eu queria ler muito e sua resenha me deixou mais curiosa pra ler ele,,agora to louca pra conseguir ele :)

    ResponderExcluir

Copyright

Todas as fotografias e textos publicados são produzidos pela equipe do Feito Poesia, exceto quando sinalizado. Por favor, não copie nenhum deles sem a devida autorização dos autores. Todos os direitos reservados.


Seguidores